Quais são os estilos mais famosos de Kung Fu?

De origem pré-histórica, o Kung Fu surgiu da necessidade dos chineses de defender seus territórios de povos inimigos e até de animais. Nesses mais de 5.000 anos de existência, o wushu (arte de guerra) ou Kung Fu (nome que ficou conhecido no ocidente) foi influenciado e aprimorado pelas tribos espalhadas pelo vasto território chinês, durante as diversas dinastias do Império.

Hoje, são conhecidos mais de mil estilos de Kung Fu diferentes, sendo mais de 300 deles oficialmente catalogados. E, para executar essas tarefas com perfeição, a arte marcial foi aperfeiçoada com métodos e estilos diferentes de combate.

Muitos deles são baseados em habilidades de animais, mas também com uma preocupação de proporcionar benefícios e equilibrar tanto a parte física quanto a mental, para manter a qualidade de vida de seus praticantes.

Assim, a tradição do Kung Fu se perpetuou por milênios e por gerações, sendo atualmente uma das atividades esportivas mais praticadas em todo mundo. Por conta disso, neste post vamos listar os estilos mais famosos dessa arte milenar! Confere aí:

Os sete estilos de Kung Fu mais famosos do mundo

1. Estilo Louva-a-deus

Um dos estilos de Kung Fu mais proeminentes e difundidos pelo mundo afora foi desenvolvido pelo Mestre Wang Lang há mais de 350 anos, inspirado no rápido, agressivo e flexível inseto.

A história conta que, em uma de suas pausas para meditação na natureza, Lang se deparou com um embate entre um louva-a-deus e uma cigarra. Apesar do oponente maior, o pequeno inseto não se intimidou e, com movimentos rápidos de ataque e de defesa, venceu a cigarra.

A partir desse momento, o Mestre se encantou com a movimentação sagaz do animal e passou a observar com a máxima atenção cada um de seus gestos, quando ameaçado. Surgiu, então, o estilo extremamente técnico e versátil: de movimentos ofensivos e defensivos, fortes e leves, de mãos, punhos, braços e, sobretudo, cotovelos.

Grosso modo, ele é focado na autodefesa, mas também em atingir o oponente para limitar sua força e comprometer seu equilíbrio.

2. Estilo Shaolin do Norte

Desenvolvido no templo budista Shaolin, no norte da China, esse estilo é uma das maiores referências da modalidade e precursor de diversas outras variantes da arte marcial ao longo das gerações.

A técnica conta com um conjunto de 72 tipos diferentes de habilidades, baseadas em taolus curtos e longos, de mãos, pés, joelhos e cotovelos, chutes altos, rasteiras e quedas. Sempre com movimentos ofensivos e defensivos amplos, ágeis e agressivos, objetivando acertar pontos vitais do corpo do oponente.

O conceito budista preza bastante pelo equilíbrio entre o físico e mente, conhecido, nesse caso, como “Six Harmonies”. Ele é composto por três harmonias externas — ombros e quadril, cotovelos e joelhos, e mãos e pés — e outros três internos — mente e intenção, intenção e QI, e QI e força.

Assim, essas combinações visam proporcionar maior força, resistência, elasticidade, velocidade, equilíbrio e concentração, além de melhorar a respiração de seus praticantes.

3. Estilo Garra de Águia

Esse estilo também teve origem no Tempo Shaolin e foi competentemente aperfeiçoado pelo guerreiro O’Fei, general do exército chinês. Ele disseminou suas técnicas por meio de seus oficiais, que, então, os repassavam aos seus soldados.

O método consiste no fortalecimento dos dedos das mãos, que formam uma espécie de garra curva para realizar pegadas, imobilizações, chaves e torções, resultando até no quebramento dos ossos dos adversários.

Mesmo após a morte de O’Fei, sua técnica foi repassada por gerações e aprimorada com o tempo com o acréscimo de saltos, movimentos de pernas e chutes. Hoje, o estilo Garra de Águia é executado no mundo inteiro, reconhecido por suas 108 técnicas de chaves diferentes e por exigir extrema dedicação e disciplina de seus praticantes.

4. Estilo Hung Gar

O Hung Gar é um dos principais estilos de Kung Fu. Ele é caracterizado pela utilização de movimentos de ataque e defesa simultâneos, baseado em cinco técnicas fundamentais de animais: dragão, serpente, tigre, leopardo e garça.

Também conhecido como estilo Garra de Tigre, o Hung Gar é originário da Dinastia Ching e surgiu após a destruição do Templo Shaolin do Sul, no século XVIII.

Apesar do massacre, alguns monges sobreviveram e disseminaram o legado aos seus discípulos. Um deles, Hung Hei Kun, construiu um novo Templo Shaolin na região Sul da China para continuar ensinando os moldes tradicionais do Kung Fu, que mais tarde viria a ser batizado em seu nome e conhecido como Hung Gar.

O “boxe da família Hung”, em tradução livre, tem como características deslocamentos estáveis, penetrações diretas e posições baixas e fortes, com foco na força e na resistência dos membros superiores, sobretudo das mãos, com destaque para a combinação mão de ponte e garra de tigre.

5. Estilo Choy Lay Fut

Essa técnica tradicional é conhecida em todo mundo por aplicar chutes e socos rápidos, baseados em movimentos bastante flexíveis.

De acordo com a história, do século XIX, o jovem Chan-Heung teve sua primeira formação em artes marciais com o Monge Shaolin Choy-Fok. Anos mais tarde, o mestre o apresentou a Lay Yau-Shan, renomado por sua técnica feroz de luta repleta de movimentos ágeis.

Por quase uma década Chan-Heung aprendeu os fundamentos do estilo de Lay-Gar. Entusiasmados com o progresso do pupilo, os mestres o motivaram a percorrer a montanha Bak-Pai, na China central, para encontrar Ching Cho War Cern, conhecido como Monge Grama Verde, ex-monge Shaolin.

Depois de muito insistir, Heung foi aceito pelo recluso religioso, que lhe ensinou todos seus conhecimentos marciais, sobretudo a lendária técnica “Palma de Buda”, um poderoso golpe com a palma da mão, e trabalhos de fitoterapia com ervas chinesas.

Ao retornar para casa, Chan-Heung se mostrou um guerreiro diferenciado e muito talentoso, passando a ser admirado pela incorporação do novo estilo, que foi batizado em homenagem aos seus três mestres “Choy, Lay e Fut”, este último expressa “Buddha”, religião de seu terceiro doutrinador.

6. Estilo Garça Branca

Oriundo da Dinastia Ming, o estilo da Garça Branca (Pai Ho) surgiu da observação dos movimentos do animal, quando em perigo. Segundo a lenda, isso ocorreu no Tibete, quando um monge presenciou a ave sendo atacada por um macaco.

Com movimentos ágeis e certeiros, a garça apresentava uma excelente esquiva para anular os ataques do macaco e, com um golpe fulminante em um ponto vital (nos olhos) feriu gravemente o primata, que partiu em fuga.

A partir de então, o monge adaptou esses movimentos, criando um novo sistema de luta com oito técnicas fundamentais, baseadas em ações rápidas de evasão, chutes, torções e ataques precisos em pontos vitais.

Por muito tempo, esse estilo foi utilizado pelos soldados da Dinastia Ming para proteger a família real, e ainda deu origem a muitas outras vertentes baseadas nesse que é um dos estilos de Kung Fu mais acrobáticos e harmoniosos existentes.

7. Estilo Tai Chi Chuan

O Tai Chi Chuan, apesar de não ser considerado um estilo de Kung Fu propriamente dito, é uma das modalidades marciais mais completas e dá origem a diversas outras vertentes, pois integra técnicas de defesa pessoal com movimentos lentos e suaves voltados à saúde física e mental, visando uma correta respiração para acalmar a mente, músculos e nervos. Basicamente, uma forma de meditação ativa.

Ele preza pelo equilíbrio mental e pela concentração total de energia para realizar movimentos lentos e graciosos — chamados de “formas” — de maneira encadeada e fluída. Essas “formas” têm tamanhos e sequências variadas, com 75 ou até 83 movimentos, no estilo mais antigo, ou mais curtas, com cerca de 19 evoluções.

Além disso, por ser uma modalidade que trabalha mais com respiração e concentração, o Tai Chi é considerado um dos estilos internos de Kung Fu, diferente dos tópicos anteriores, considerados estilo externos, uma vez que exercitam mais o corpo e a parte física de seus praticantes.

Enfim, embora tenha caráter de combate, eternizado por monges e mestres chineses — inclusive no cinema e na televisão, pelo ícone Bruce Lee — podemos ver que o Kung Fu pode ser praticado por todos os tipos de pessoas, de qualquer idade, justamente por ser uma arte marcial completa.

Assim, caso tenha se interessado por algum desses estilos de Kung Fu, saiba que a TSKF é capaz de oferecer planos de treinamento baseados nos melhores valores que essa atividade pode proporcionar. Interessado? Então, entre em contato com a gente!

Mestre Gabriel
Mestre Gabriel

Praticante de Kung Fu desde 1980, fundou a TSKF Academia de Kung Fu em 1996, graduado Mestre pela Confederação Mundial de Kuoshu. É escritor, palestrante, ocultista e estudioso da entidade humana.

Comments (2)

  1. A tskf só tem o estilo louva deus?

    1. Olá, Jonny. O estilo principal da TSKF é o estilo Louva-a-deus. Todos os anos temos cursos sobre vários estilos diferentes que complementam o aprendizado marcial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This