Quais são as principais regras do Kung Fu? Aprenda aqui!

As principais regras do Kung Fu mostram como essa arte marcial é baseada em respeito e numa série de outros valores sociais que vão muito além do combate. Com origem na China, essa prática  se tornou tradicional em vários países e hoje busca a elevação pessoal, além de benefícios mentais e corporais dos seus adeptos.

Em um contexto de melhoria como cidadão, baseado em fatores como humildade, respeito e cidadania, essa arte marcial possui normas bem definidas e exige muita disciplina de seus praticantes.

Vamos entender melhor as regras dessa prática milenar? Elas são baseadas em costumes tradicionais do budismo e do Confucionismo. Continue a leitura e confira mais detalhes!

A influência do budismo nas principais regras do Kung Fu

A história do budismo e do Kung Fu praticamente se misturam em suas origens milenares. A religião teve grande ajuda no processo de difundir essa arte marcial e sua cultura. Muitos valores e princípios foram a ela agregados, o que a tornou muito mais do que uma simples luta.

Conforme os conceitos defendidos pelo budismo, o Kung Fu possui, além das técnicas de combate, alguns princípios e costumes que permitem a evolução, não só em termos de cidadania e caráter, mas também nos aspectos físicos e espirituais. Conheça agora as regras criadas sob a influência do budismo:

Usar as técnicas somente para a defesa pessoal

Um praticante de Kung Fu domina técnicas avançadas de combate, mas elas são compreendidas apenas após anos de treinos e de muita dedicação. Sendo assim, essas habilidades não podem ser usadas para ataques ou agressões.

O uso dessa arte marcial está permitido somente para defesa pessoal em casos extremos, tendo em vista que a sua utilização inadequada pode causar ferimentos, além de ir contra a filosofia de disciplina e de caráter defendidos por essa tradição.

Respeitar mestres de Kung Fu e outras artes marciais

Dentro da cultura budista, aquele que detém conhecimento deve ser respeitado acima de qualquer um. No Kung Fu, tal figura é muito bem ilustrada pelos mestres, que possuem mais tempo na prática, além de serem responsáveis por ensinar a arte.

Por isso, o respeito com aquele que detém o conhecimento e o transmite aos demais, precisa ser máximo. Isso deve se estender também aos mestres de outras artes marciais, pois eles também se enquadram nessas características.

Demonstrar atitudes nobres e de cidadania

Um indivíduo elevado espiritualmente é aquele que mantém seus valores e seu caráter diante dos companheiros de prática e também da sociedade como um todo. Respeito, amizade, humildade, honestidade e bondade devem ser práticas recorrentes.

Dentre os principais ganhos da influência do budismo no Kung Fu destacam-se as filosofias para evolução pessoal, cujo objetivo é tornar o praticante um cidadão melhor.

Evitar demonstrar técnicas de combate, mesmo diante de desafios

O exibicionismo, a arrogância e a soberba são atitudes completamente rejeitadas pela filosofia budista, pois não condizem com a evolução pessoal. Sendo assim, essas manifestações pessoais precisam ser completamente evitadas.

Uma das maneiras que elas podem acometer o praticante de Kung Fu é na demonstração desnecessária de suas habilidades de combate, visto que em algumas situações, a pessoa pode acabar seduzida pela vaidade de mostrar sua superioridade. Assim, o exercício do domínio-próprio é fundamental para evitar essas situações, ainda que seja diante de desafios.

Evitar ou controlar o consumo de álcool e de carne

Em relação ao consumo de carne, essa restrição tem origem na filosofia budista, que prega a não agressão a nenhum tipo de ser vivo. Ou seja, o costume de comer carne está diretamente associado à morte de animais. Além disso, há a questão fisiológica, já que o corpo não consegue digerir esse tipo de alimento da melhor forma, o que não faz bem ao organismo, segundo alguns estudiosos.

Quanto ao álcool, a questão central é a embriaguez. Tendo em vista que ela altera a consciência, o poder de raciocínio e a tomada de decisões, o álcool deve ser proibido para que não domine a mente do homem. Além disso, assim como a carne, o álcool também é prejudicial à saúde.

É importante ressaltar que as proibições têm origem na filosofia budista. E por questões lógicas, elas foram transmitidas ao Kung Fu de algumas escolas. Hoje em dia, os mestres recomendam o não consumo desses alimentos, ou que pelo menos sejam feitos com consciência e cuidado.

O Kung Fu sob a ótica do Confucionismo

O Confucionismo é uma filosofia milenar chinesa baseada no que pregava Confúcio, considerado o primeiro mestre da história da nação, conhecido por pregar a evolução espiritual, pessoal e a cidadania. Vamos conhecer as regras do Kung Fu sob essa doutrina? Elas são baseadas nas obrigações de um mestre, cujas principais exigências são:

Ser versado em filosofia

Confúcio era defensor da ideia de que todo mestre de Kung Fu deve ser versado em filosofia. Isso seria importante na transmissão de ensinamentos fundamentais para o desenvolvimento de seus alunos, levando em consideração tanto as técnicas de combate, como a evolução pessoal e espiritual.

Conhecer a medicina interna corporal

Os conhecimentos de medicina são fundamentais para que um mestre saiba orientar seus discípulos da melhor forma, segundo as bases do Confucionismo. De acordo com essa linha de pensamento, essa obrigatoriedade é fundamental para o praticante de Kung Fu saber conduzir cuidados básicos relativos ao corpo e à saúde.

Possuir conduta exemplar

Confúcio pregava que uma pessoa deve ter uma conduta exemplar, livre de vaidades, arrogância, prepotência e qualquer pensamento ou comportamento que prejudiquem sua integridade e sua mentalidade bondosa e de caridade. O Confucionismo tem como base a benevolência e o respeito ao próprio.

Desse modo, o mestre de Kung Fu precisa ser um grande exemplo para a sociedade e para seus discípulos. Através de um comportamento adequado, ele deve priorizar o amor e a bondade em primeiro lugar e sempre ter em mente os ensinamentos e as técnicas do Kung Fu ao se relacionar com os outros.

Saber como viver no ambiente que o cerca

Segundo os ensinamentos de Confúcio, a pessoa de bem e elevada espiritualmente precisa saber como conviver com a sociedade e o meio em que está inserido. A harmonia e o equilíbrio, sempre com base no respeito, são regras fundamentais.

Defender a si mesmo e aos outros

Uma das premissas do Kung Fu é a autodefesa. Desse modo, os conceitos do Confucionismo pregam que um mestre tenha habilidades suficientes para defender a si próprio. Além disso, também deve saber defender aqueles que, mediante algumas circunstâncias, não sabem se defender.

Gostou de saber quais são as principais regras do Kung Fu? Muito mais que um simples combate, essa tradição prega a elevação mental, espiritual e pessoal! Aproveite e conheça melhor cada um dos estilos dessa arte marcial milenar!

Mestre Gabriel
Mestre Gabriel

Praticante de Kung Fu desde 1980, fundou a TSKF Academia de Kung Fu em 1996, graduado Mestre pela Confederação Mundial de Kuoshu. É escritor, palestrante, ocultista e estudioso da entidade humana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This